sexta-feira, 10 de abril de 2020

A Vida achada na Morte


A VIDA ACHADA NA MORTE

A única vida possível de se experimentar decorre da inevitável morte. Paulo entendeu isso com uma sensibilidade poética e, ao mesmo tempo, com uma precisão empírica, profunda, inescapável. É por isso que ele afirma: "Já estou crucificado com Cristo e agora não vivo mais eu, mas Cristo vive em mim". 

A vida que vive sob o temor da morte não é vida. Por isso, uma vez que a morte não é mais um problema, a vida encontra a intensidade mais plena, a força mais intensa, o caminho absoluto! Paulo, agora consciente de que a morte já não lhe era um problema, posto que jazia crucificado, vivia o que de fato a Vida lhe poderia proporcionar: viveu a completude de seu ministério, mergulhado até as profundezas do propósito de sua vocação. Era a experiência da liberdade plena, ainda que em cadeias. Era o sabor inefável da Graça que, em alguns momentos, concebia-se na ilicitude de expressar com palavras. Era a sensação de arrebatar-se até o terceiro céu, já não importando se no corpo ou fora do corpo, para contemplar o indizível e tocar o intangível!

E sua liberdade tornou-se escândalo! Sim, como a Cruz é escândalo para os religiosos, a liberdade de Paulo, preso à Cruz, tornou-o escândalo, junto com o Seu Senhor! Porém, não só escândalo: sua liberdade era também loucura, era irrazoável e irracional para os sábios.

Sua vida foi plena: alegrou-se; chorou; sorriu; sofreu; fartou-se; passou necessidades; navegou; naufragou; escalou montes; visitou vales; teceu tendas; padeceu fome; fez amigos; viu-se só. Entretanto, acima de tudo isso e, em tudo isso, amou!!! Amou com uma força avassaladora! Amou viceralmente ao Seu Senhor e aos filhos que gerou durante toda a sua existência, no seu celibato. 

Paulo é o paradoxo do morto que, sobretudo, vive como nenhum de nós viveu e, provavelmente, nunca viverá: viveu sem o medo, visto que contagiado estava pelo Amor que lança fora todo o medo; o Amor mais forte que a morte!

Viver sem ter a morte como um problema é o mais libertador dos caminhos. Na Verdade, é o único Caminho para quem deseja experienciar a plenitude da Vida! Para que possamos Viver devemos morrer. Aquele que perder a sua vida, ganha-la-á!

NEle que é a Vida manifesta na Cruz,

Jordanny.

Nenhum comentário: