terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Aforismos e poesias: lúcidos devaneios - parte 1



Amor e Sexo entre homem e mulher...

Todos nós passaremos a vida na certeza de que o incompreensível é o que nos rege e, muitas das vezes, nos impulsiona a irmos além. Mas o que, talvez, menos compreenderemos neste limitado mundo fadado à fronteira da mortalidade, é o amor. O amor já foi cantado em inúmeras músicas; já foi descrito e articulado por milhares de poetas; já esteve nos lábios dos apaixonados e nos atos dos solidários. Entretanto, por que o amor é tão complexo para ser compreendido? Talvez seja porque ele não deva ser compreendido, mas sim experimentado, vivido...
Porém, viver o amor é algo que de tão simples passa a ser difícil, vez que o espírito humano opera com destreza e maestria a arte de complicar... Viver o amor é, pois, sair de si; é até mesmo perder a razão humana e desvincular-se do instinto... Mas é também perder a razão e deixar-se levar pelo instinto... É, ainda, usar a razão temperada pela emoção de um toque; pelo calor dos lábios que se beijam; pelo fogo que acende nas entranhas dos apaixonados... É render-se ao ritmo da mais bela das canções e deixar-se ser conduzido pela mais ardente dança... É entregar-se totalmente... Às vezes até inconseqüente... É dispor-se a lutar contra tudo e todos... É dispor-se a lutar, antes de tudo, consigo e contra si mesmo...

Sentir o amor é viver a loucura do incompreensível; é tocar o intangível e ver o invisível; é pensar o irracional e irraciocinável; é contemplar o místico e se ver seduzido pelo inexplicável; é compreender que o natural é por natureza supra e sobrenatural... Um apaixonado sonha com os beijos da amada... Sonha com o calor do seu corpo... Ouve o ritmo que o corpo de sua amada toca enquanto ela caminha ao seu encontro... E nesse encontro, como um choque cataclísmico de dois astros, atraídos por uma força gravitacional irresistível, a sensualidade com toda a sua irreverência é reverenciada por uma poesia inefável e impronunciável, recitada em coro num jogral ensaiado, desde a gênese humana, pelo corpo, alma e espírito... O calor dos amantes percorre como eletricidade em alta voltagem acionada por um simples toque na pele, ou pelo som suave de um sussurro que seria indecente e profano, se não fosse tão consagrado à ocasião... Não se trata de sexo, unicamente... O sexo por sexo arranca a possibilidade do clímax do prazer, o qual reside na reciprocidade e vontade de dar prazer... O amor, contudo, concilia e cultua o íntimo, tornando-se um ritual completamente musical e inexplicavelmente saboroso... A intimidade dos amantes pode ser comparada a uma fonte que é saboreada por aqueles que se vêem sedentos em um mundo tão seco, árido e frio... Os amantes se vêem aquecidos por algo que a natureza graciosamente lhes impôs por meio do instinto, compondo assim um concerto que é regido com êxtase e excitação... É lindo, puro, harmonioso, melódico, rítmico, delicioso... É, porque não dizer, glorioso...
A honra de amar está na entrega; no prazer de dar prazer... A honra de amar está do desejo de ser desejado, desejando... A honra de amar está concessão da posse do próprio corpo ao outro enquanto, reciprocamente, adquire-se a posse do corpo do outro como uma terra nova, inicialmente, desconhecida... E, como um desbravador colonizador apaixonado, cada um passa a viajar e esquadrinhar este novo mundo, detalhe por detalhe, cuidando dele, mapeando-o, arando-o, semeando-o e preparando-o para a produção de frutos que futuramente alimentarão o amor de ambos...
Amar é tratar como se estivesse com saudade, mesmo estando a muito juntos... É alimentar a saudade na consciência de que cada minuto é como se fosse o último, uma vez que o amanhã, regido pela sina da mortalidade, pode afastar os amantes para longe um do outro...
O amor, contudo, é sensível à ferroada que produz a mágoa a qual, como veneno de escorpião, faz queimar todo o corpo, circulando pelas veias e artérias da alma, chegando, às vezes até mesmo a imobilizar, matando sem fazer cessar os sentidos; apenas matando de dor... O problema é que os mais venenosos escorpiões não são os maiores, mas os menores... Talvez seja por isso que o que ferroa, normalmente, não consegue ter noção do impacto de sua ferroada... Por que magoamos? Por que maltratamos? Por que somos assim? O perdão, porém, é o antídoto desse veneno... Mas deve ser administrado com alimento... Nunca perca a oportunidade da reconquista... Alimentar o amor de quem amamos e por quem somos amados é inexplicavelmente passear além dos limites do natural, visto que, ao passo que alimentamos, somos alimentados... Enquanto damos, recebemos...
O amor parece ter alma e vida própria... Parece ter até mesmo corpo e carne que desejam e precisam, ainda que imaterialmente, ser alimentados... E um amor que não é alimentado sente a dor da inanição... A inanição é o vazio que consome as entranhas do ser... É a fome de ser tocado... É o desejo do chamego... É a saudade do sorriso... É a vontade de ouvir cochicho ao pé do ouvido... E a falta de alimento produz inicialmente uma acidez advinda da ansiedade que só conhece quem já amou... Por sua vez evolui para uma desnutrição; e por fim à insensibilidade e morte, desfigurando a própria alma que se torna pálida, fraca, vazia, deformada... O único remédio para a inanição é o próprio alimento... Alimente o amor de quem você ama... Não o deixe morrer ante o desprezo, a omissão e o descaso...
E, sobretudo, não perca a oportunidade de amar e o milagre de ser amado...
Jordanny Silva
Brasília – DF, 30 de novembro de 2010.

2 comentários:

Pr. Iranildo medeiros disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pr. Iranildo medeiros disse...

Obrigado amado irmão Jordanny,fiquei muito feliz em receber um comentário seu.Tenho pouco tempo de ministério e lidero uma igreja bem pequena e ainda não tive a oportunidade de estudar teologia em uma faculdade e recebendo um comentário digo sem demagogia de uma pessoa como você que escreve bem e de um discernimento bíblico muito profundo me senti muito importante não ao ponto de me exaltar, mas de esta sendo útil na pregação do evangelho. Obrigado por esta seguindo o meu blog e me colocar no meio dos seus blogs de indicação.Quase todos os dias dou uma passada no seu blog pra dá uma pesquisada. A graça e paz do Senhor pra você e toda a sua familia.