segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

A Maldição do Apóstolo Paulo





Vivemos em um tempo onde o evangelho místico do terror tem sido propagado de forma tão intensa que, às vezes, nos faz necessário usar o próprio fundamento bíblico, por meio da metodologia do pavor, para tentar fazer com que alguns, pelo menos, tenham temor antes de distorcer as verdades centrais e indiscutíveis da Palavra de Deus.

Desse modo, gostaria de chamar a sua atenção, caro leitor, de que há quase dois mil anos, um homem chamado Saulo, de Tarso, conhecido entre os gentios como Paulo, lançou uma terrível maldição, da qual, nem mesmo Tutancâmon, ou qualquer outra deidade egípcia, seria capaz de deter, ou de superá-la. Essa maldição, falo com propriedade, é irremediável, a não ser que haja um genuíno arrependimento dispare de qualquer atuação teatral, mormente apresentada por um fariseu (Mt 5.20).

“Mas o que você está dizendo, Jordanny? Uma maldição lançada pelo apóstolo Paulo?” Eu devo até me corrigir: não seria, necessariamente, lançada, mas sim profetizada. Entretanto, pior do que ser lançada por ele é ser profetizada por ele, ao passo que importa em um decreto divino imutável, tal como todo o teor de Sua Palavra (1Pe 1.24) e digno de consideração (Rm 11.22). Essa maldição, por sua vez, revela-se como uma teia tecida pelo orgulho, vaidade, soberba e engano, sendo tão perigosa que chega a fazer o amaldiçoado acreditar veementemente na sua própria mentira (2Tm 3.1-13).

Essa maldição não limita, evidentemente, o agir de Deus; mas os que foram amaldiçoados com ela, não inescusáveis diante de Deus, mesmo quando, em Seu nome, operam sinais e maravilhas. Aliás, gosto de lembrar não são os dons prodigiosos do Espírito que autenticam o caráter do verdadeiro cristão, mas sim o fruto do Espírito (Gl 5.22,23).

Essa maldição é pior do que a “maldição hereditária”, tão divulgada pelos “mestres da fé na fé”, pois está fundamentada em uma mentira que se revela poderosamente terrível, vez que tem forte aparência de verdade. O incrível é perceber que os amaldiçoados acreditam que realmente são benditos, os quais rogam, declaram, decretam e “profetizam” para si bênçãos e mais bênçãos, crendo poderem determinar o próprio agir e a vontade de Deus. Esses ressuscitam a lei e matam a graça; falam do amor, mas vivem de modo dissonante, segundo seus interesses, alimentando, dia após dia, as duas filhas da sanguessuga (Pv 30.15).

Mas de que maldição se trata? Façamos, pois, a leitura do seguinte texto:

(Gl 1.6-9) - Maravilho-me de que tão depressa passásseis daquele que vos chamou à graça de Cristo para outro evangelho; o qual não é outro, mas há alguns que vos inquietam e querem transtornar o evangelho de Cristo. Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema. Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema.

Essa ameaça não deve passar despercebida. Entretanto, o que a maioria dos fraudadores da Palavra fazem é apagar esse trecho de suas Bíblias e apegarem-se ao apelo material, emocional e psicológico a fim de formularem um número expressivo de ouvintes e fãs, que, na maioria, cegos pelo desejo egolátrico, acabam sendo seduzidos para a teia de aranha, crendo ser o verdadeiro evangelho.

O que me deixa de cabelo em pé, não são tão somente as palavras de Paulo, mas a maldição vindoura que será proferida pelo Mestre Jesus Cristo:

(Mt 7.15,21-23) - Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores. Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade.

Lembre-se, pregar um evangelho em dissonância da Palavra da Verdade é o mesmo que praticar a iniquidade! Tornemos, no tempo chamado Hoje, para os rudimentos fundamentais do verdadeiro evangelho de Cristo! Que o Senhor nos livre das cadeias da maldição; que o Senhor nos dê temor para pregarmos a Sua Palavra com ousadia e autenticidade!

A paz do Senhor a todos!
Jordanny Silva

2 comentários:

Pr. Iranildo medeiros disse...

Graça e paz amado a quanto tempo. Belo texto, mas bem sabe você e eu que a grande maioria dos " cristãos " não conseguem e pior,não querem enxergar essa grande verdade.É isso ai continue bombardeando a com o Evangelho Verdadeiro. Deus o abençõe.

http://pastoriranildomedeiros.blogspot.com/

Paulo Jorge Ramos disse...

Saudações,
envio informação sobre a conversão do Apóstolo Paulo:
http://quem-escreveu-torto.blogspot.pt/2013/02/actos-dos-apostolos-conversao-de-paulo.html
Obrigado