sábado, 15 de janeiro de 2011

Aforismos e poesias: lúcidos devaneios - parte 3

Inconsequente


A agressão inconsequente

Gera dor dilacera onde atinge.

A agressão inconsequente

De consequências, de fato, cinge.

Atingido e sangrando fico

Compreensão do motivo a buscar

E se chego à conclusão omito;

Resta, agora, a dor suportar.

A agressão inconsequente

Consequências há de deixar:

Ferida aberta bem rente

A um lugar que só quis amar.

Do amor o ódio que resta?

Sentimentos que quis apagar

Da memória: ferida aberta

Que no peito não quer estancar.

Mas um dia que o sangue se acabe;

Com a alma se esvai a emoção...

Sem amor ou mesmo odiosidade,

O desprezo cresce ao coração.

“O antônimo de amor não é ódio, é indiferença”.


Jordanny Silva

domingo, 9 de janeiro de 2011

Aforismos e poesias: lúcidos devaneios - parte 2




Na Froteira do Eterno

Pelos trilhos dessa vida caminhamos;
À longínqua região vamos seguindo...
Nos limites dessa estrada encontramos
A fronteira do que é já e o que é vindo.
Vislumbramos bem ali mui movimento;
É o comércio mais famoso e visitado;
E há quem venda a todo gosto e intento;
Que ofereça os sonhos mais inusitados,
Inclusive alegria e alento...
Mas nem tudo que se vende é verdade.
Há quem tire até vantagem do cansaço
Da viagem e aproveita a ansiedade
Ofertando muitos bens falsificados.
‘Stá no preço que se paga o segredo,
Pois do que é muito barato desconfia.
Mesmo amor ou esperança, geram medo,
Quando vêm de contrabando, ou quadrilha...
E o bom preço não se paga em moeda;
Mas c’os frutos cultivados nessa vida,
Quais regados com o choro em boa terra
Nos garantem vero amor e alegria.
Jordanny Silva