sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Aforismos e poesias: lúcidos devaneios - Parte 10



Separação

Sempre hei de lembrar com penosa tristeza
dos cantos e danças de tua alma serena,
e do insigne aroma que exala das fendas
que em teus lábios nascem e inspiram beleza.

Mas o teu olhar, que hoje expressa frieza,
não vê minha dor, que no choro se aquenta;
e os lábios, que outrora seguiram a senda
de teu corpo, vivem constante incerteza:

Incerteza do já que é logo passado;
incerteza do amor (futuro inexato);
incerteza da paz que quis ao teu lado.

E fica a memória do beijo profundo,
e morre a esperança de ter aqui junto,
a quem foi coluna; minha vida; meu mundo.

Jordanny Silva