segunda-feira, 24 de maio de 2021

Pincelado

 


Pincelado

Ah, o teu sorriso! No teu sorriso
é que eu habito; vivo...
Ah, a tua boca! A tua boca
que a mim se doa; ressoa...
Ah, o teu olhar! O teu olhar
me arranca o ar; o mar...
Ah, as tuas mãos! Em tuas mãos
nada é vão; sãos...
Ah, a tua voz! A tua voz
expulsa-me o algoz; foz...
Ah, os teus pés! Junto aos teus pés
brotam aloés; lés...
Ah, o teu busto! É o teu busto
o meu refúgio; augusto...
Ah, os teus cabelos! São teus cabelos
tais quais novelos; selo...
Ah, as tuas pernas! As tuas pernas
firmam sendas eternas; ternas...
Ah, as tuas costas! São tuas costas
de Elísio as rotas; arrosta...
Ah, a tua fronte! Em tua fronte
nascem as fontes; fronde...
Ah, o teu ventre! Que em teu ventre
eu me assente; sempre...
Ah, o teu hálito! Em teu doce hálito
queda o lar cálido; ádito...
Ah, o teu cheiro! É o teu cheiro
dos sumo aromas o celeiro; veiro...
Ah, a tua beleza! Em tua beleza
firma a destreza; alteza...
E me perco ao descrever-te
minha musa, gueixa e leide...
Sei que és graça em seu sentido
mais profundo; e eu seu amigo
moribundo, que sou,
ferido de amor!

Gama, 24 de maio de 2021.

Nenhum comentário: